Com situação caótica, medidas extremas

Por Annabelle Rech

08/03/2021

A rede Santa Clara saúde, que pertence a Onor, vai completar mais um ano de existência na próxima sexta-feira, 12 de março.
Existimos desde 2012 trazendo saúde e qualidade a nossos pacientes.
Contudo neste ano, não teremos festa de comemoração e teremos um cenário diferente do habitual.
Pela primeira vez em nossa historia, as cenas vivenciadas dentro de nossas unidades, nada diferente do resto do Brasil é de caos.

Não por má gestão como no caso do Ministério da Saúde, longe disso.
Mas por falta de consciência de muitas pessoas que ainda não tiveram o lapso de entender que a pandemia é séria, e a Covid-19 mata.
Por isso estamos superlotados não em uma ou duas, mas em todas as nossas unidades.
Diante ao quadro agravado que se encontra a Santa Clara, eu como diretora da Onor, mantenedora da Instituição,
e a Ana Beatriz Segantini, como Superintendente da rede de clínicas, tomamos medidas que detalho agora.

1 – Ampliação do atendimento
A Santa Clara vai a partir de hoje, começar a preparar uma ampliação para receber novos pacientes.
Nosso espaço físico é pequeno pois já estava todo ocupado, mas onde pudermos por uma maca, ela será posta.
Em todas as nossas unidades os consultórios médicos se transformarão em leitos.
Nosso espaço para eventos presente em cada clínica, será dividido e separado por divisórias também se transformará em leitos.
Vamos abrir deste modo, 30 leitos em cada prédio das nossas clínicas.
Em Porto Alegre e em São Paulo, onde temos duas unidades serão abertos, 60 leitos respectivamente.
Na capital paulista, os leitos que entrariam em operação amanhã foram antecipados, começam a funcionar hoje.
Em Porto Alegre, os leitos serão implantados até na quarta-feira, 10.
Para demais unidades da rede, a adaptação também chegará mas deve ocorrer na semana que vem.
Isso porque precisamos de logística para dar esse atendimento.
Não é a forma como gostaríamos de atender nossos pacientes, mas é como podemos agora.
A qualquer modo não vamos perder nossa qualidade e nem deixar, nem uma pessoa que precise sem atendimento.

2 – Contratação
Para dar conta da alta demanda, abrimos hoje 350 vagas de contratação temporária para técnicos de enfermagem e enfermeiros,
que auxiliem na linha de frente do combate a Covid-19.
Também vamos contratar, 150 novos médicos em todas as cidades onde atuamos, o número é somado, para atender as pessoas e juntarem aos que já temos.
Faremos estágio de residência, para que possamos receber mais profissionais de saúde, com supervisão de um médico experiente.

3 – Em face da necessidade de se ter leito, a rede Santa Clara suspende a partir deste 8 de março, e por tempo indeterminado
todas as cirurgias eletivas;
Todos os transplantes realizados pela instituição;
Todas as cesarianas exceto as que chegarem por emergência;
Todos os partos normais, exceto aqueles emergenciais que não houverem tempo para que a gestante seja encaminhada a outra unidade;
Todas as sessões de tratamentos que não estejam ligados a Covid-19;
Todas as consultas e exames agendados em nossas unidades, afim de preservar a vida de nossos pacientes.
Nesse instante as medidas de austeridade, são adotadas para que, possamos preservar a vida das pessoas.

4 – Investimentos
A Santa Clara vai comprar, junto a hospitais irmãos, cerca de 200 leitos em todo o país.
Para que não deixe seus pacientes desassistidos em outras patologias.
Nossas unidades se concentrarão no atendimento Covid-19.
Entre investimentos, contratações e produções, serão gastos R$ 180 Milhões, a partir desta segunda-feira.
Que foram liberados pelo Fundo Emergencial da Onor, para atender a essas necessidades.

Ressalto que, em tempos de crise, nossos esforços são para garantir o atendimento das pessoas com qualidade.
O mesmo que deveria fazer o governo federal, mas que prefere negar a existência da pandemia com ações brandas, ao em vez de encarar o problema com a seriedade que ele merece.

Ajuda aos estados
A Santa Clara e a Onor, também vai continuar nesse processo, auxiliando nossos estados receptores.
Onde existe unidades de nossa empresa, temos feito repasses para que seus governos consigam melhor, atender as pessoas com Covid-19.
Doamos recursos financeiros, máscaras, luvas, roupa de proteção e medicamentos.
E continuaremos a fazê-lo.